Print Friendly and PDF
only search openDemocracy.net

As novas plataformas que estão transformando a gestão pública

A exigência de modelos participativos mais abertos supõe a criação de espaços mais digitalizados, transparentes, horizontais e abertos no sector público, mas também o apoderamento de todos os agentes sociais. English, Español

Libby Levi/Flickr. Alguns direitos reservados.

Este artigo é um extrato de um artigo original publicado no eBook El ecosistema de la Democracia Abierta e pode ser encontrado aquí.

Ao longo das últimas décadas, o desenvolvimento científico e tecnológico acelerado nos "liberou" de forma irreversível de uma miríade de procedimentos, tanto intelectuais quanto operacionais, sabendo que, como seres humanos, temos uma grande capacidade inventiva e criativa.

No entanto, também é evidente que, apesar dessas habilidades inegáveis, ainda há muitos desafios a serem enfrentados, especialmente quando se trata do setor público.

Atualmente, as tendências apontam para a necessidade de reorientar os esforços na direção da inovação aberta como fonte de valor e capital político para o setor público.

Este texto exemplifica várias histórias de sucesso em que diferentes Administrações Públicas, sob a perspectiva da inovação, conseguiram viabilizar vários projetos comuns, graças a uma abordagem participativa, aberta e consensual.

Nesse sentido, o artigo oferece uma lista de componentes determinantes para processos de inovação efetivos com o objetivo de que os governos possam enfrentar o desafio de equiparar o nível das Administrações Públicas aos avanços em termos de cultura digital moderna redefinindo seus formas de comunicação com o mundo.

Neste manifesto, são mencionados dez conectores de inovação que, como afirmado, poderiam contribuir para a construção de uma democracia aberta.

Dentro desses conectores, encontramos a inovação e a inteligência coletiva como o centro das estratégias de gestão pública; como promotores para o alinhamento dos diversos objetivos da totalidade das áreas governamentais em plataformas associativas, o que nos permite administrar as fronteiras do conhecimento e do fazer das instituições, em relação aos desafios locais.

Desta forma, e seguindo uma série de etapas e conselhos-chave, são projetados os processos de inovação efetivos, nos quais são incluías as ideias dos cidadãos, bem como a cocriação de soluções para problemas específicos que pertencem às pessoas.

About the author

Sabrina Díaz Rato es una periodista argentina, presidenta de la Fundación PuntoGov, entidad civil dedicada a proyectos TIC para el cambio social. Es consultora externa en el Banco Interamericano de Desarrollo (BID) y miembro del Comité de Mujeres Líderes de las Américas. Investiga y escribe sobre Internet y Política, Innovación Social, Cultura Digital, Gobierno Abierto, Participación Ciudadana y TIC para el Desarrollo en América latina.

Sabrina Díaz Rato is an Argentine journalist, president of the PuntoGov Foundation, a civil entity devoted to ICT projects for social change. She is an external consultant at the Inter-American Development Bank (IDB) and a member of the Women Leaders' Committee of the Americas. She does research on Internet and politics, social innovation, digital culture, open government, citizen participation and ICT for development in Latin America.


We encourage anyone to comment, please consult the
oD commenting guidelines if you have any questions.