democraciaAbierta

Covid-19 na América Latina: o que nos dizem os números?

Cerca de dois meses após a confirmação do primeiro caso de Covid-19 na América Latina no Brasil, é difícil saber com certeza qual é a verdadeira situação país por país. Español

democracia Abierta
13 Maio 2020, 3.46
Rafael Rodriguez/NurPhoto/PA Images

Na América Latina, os números que conhecemos não são homogêneos, nem a metodologia de contagem é a mesma em todos os países. Também são feitas alterações que distorcem os resultados, dificultando as comparações e indicando que a situação pode ser muito mais dramática do que os números refletem.

No entanto, é possível ter uma ideia aproximada se fizermos uma contagem de como o coronavírus SARS-Cov-2 avançou na região, de acordo com os números oficiais de cada país.

Tomando os números até 11 de maio, o Brasil é o país com o maior número de casos confirmados de Covid-19 na América Latina com 170.021 casos, seguido pelo Peru com 68.822 e México com 36.327.

No entanto, como mostra o gráfico abaixo, o Peru é o país mais afetado da região em relação aos casos confirmados por milhão de pessoas, seguido pelo Equador, Chile e Brasil.

Total confirmado de casos de Covid-19 por milhão de pessoas

total-confirmed-cases-of-covid-19-per-million-people.png

Também é relevante observar como a curva se comporta na região em relação ao resto do mundo e aos países fortemente afetados pelo coronavírus. O gráfico abaixo fornece uma pequena perspectiva, uma vez que a curva dos países mais afetados da América Latina não é tão pronunciada com a de, por exemplo, a Espanha.

Total confirmado de casos Covid-19 por milhão de pessoas

total-confirmed-cases-of-covid-19-per-million-people (1).png

Embora isso provavelmente responda às medidas iniciais adotadas por vários governos da região para conter o contágio, é muito difícil verificar. Pode ser ilustrativo revisar as medidas adotadas pelos países latino-americanos mais afetados, para se aproximar da realidade do impacto atual da pandemia..

Peru

Embora o Peru tenha o maior número de casos por milhão de pessoas, o número total de mortes registradas é relativamente baixo: apenas 1.961. O governo deste país instituiu medidas rigorosas de restrição de movimento e declarou estado de emergência. Além disso, adotou medidas de mobilidade ainda mais restritivas nas áreas mais golpeadas pela Covid-19.

Total de casos e mortes de Covid-19 no Peru

total-deaths-and-cases-covid-19.png

Equador

O Equador, por sua vez, registrou mais mortes que o Peru, com 2.145 mortes. Como analisamos na época no Democracia Abierta, o Equador viveu momentos trágicos nas últimas semanas, com cadáveres sendo empilhados nas ruas, embora o presidente tenha tomado medidas precoces para restringir o movimento. O caso do Equador poderia elucidar um problema estrutural comum na América Latina: a forte desigualdade econômica e social resultante da informalidade. A pobreza e a fome obrigam muitas pessoas a deixar suas casas, apesar da ameaça de um vírus que pode ser letal, especialmente em um contexto em que o sistema público de saúde é precário e insuficiente diante de uma crise de saúde pública dessa natureza.

Total de casos e mortes de Covid-19 no Equador

total-deaths-and-cases-covid-19 (1).png

Brasil

O Brasil, epicentro da pandemia na região, registra 11.519 mortes e a crise foi liderada por um presidente que não leva a sério a ameaça representada por uma pandemia. Diante dos primeiros casos, Jair Bolsonaro minimizou a doença, chamando-a de "gripezinha", e instou a população a continuar trabalhando.

Quando as mortes ultrapassaram os 5.000, Bolsonaro respondeu a perguntas de jornalistas: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagres".

Em meio a uma pandemia, Bolsonaro demitiu seu ministro da Saúde enquanto participava de várias manifestações contra as medidas de isolamento adotadas pelos estados e a favor do fechamento do Congresso e da intervenção militar. Sempre sem máscaras, ele abraçou seus seguidores, ignorando as diretrizes de distanciamento social estabelecidas por membros de seu próprio governo. Na última sexta-feira, 8 de maio, quando as mortes chegaram a 10.000, o presidente anunciou que comemoraria o Dia das Mães no Alvorada com um churrasco para dezenas de pessoas. Diante de fortes críticas, ele cancelou a festa e passou o dia no lago, passeando de jet ski.

Total de casos e mortes de Covid-19 no Brasil

total-deaths-and-cases-covid-19 (2).png

Embora o coronavírus não pareça ter afetado tão fortemente a região da América Latina como na Europa por enquanto, o contexto da América Latina apresenta alguns déficits estruturais importantes que aumentam a preocupação, e a profunda crise econômica global que está se aproximando pode ser particularmente doloroso na região.

A desigualdade, a pobreza, a informalidade da economia e a fraqueza do atual contexto econômico podem tornar essa pandemia uma tragédia sem precedentes, aprofundando as diferenças e abrindo ainda mais a brecha entre quem tem muito e quem não tem nada. .

Encontrar o equilíbrio entre medidas para conter a doença e a sobrevivência de milhões de pessoas que ganham a vida diariamente nas ruas das metrópoles latino-americanas será fundamental. À medida que os países reabrem suas economias e relaxam as medidas de quarentena às portas do inverno, teremos de permanecer vigilantes com o desenvolvimento imprevisível da Covid-19 em um continente muito vulnerável às suas consequências.

We've got a newsletter for everyone

Whatever you're interested in, there's a free openDemocracy newsletter for you.

Unete a nuestro boletín ¿Qué pasa con la democracia, la participación y derechos humanos en Latinoamérica? Entérate a través de nuestro boletín semanal. Suscribirme al boletín.
Audio available Bookmark Check Language Close Comments Download Facebook Link Email Newsletter Newsletter Play Print Share Twitter Youtube Search Instagram WhatsApp yourData